Segunda, 22 de Julho de 2024
67 9 9223-1279
Anúncio
Polícia Jaguapitã/PR

Helicóptero com pasta base de cocaína é apreendido

Segundo a PF, o narcopiloto já é antigo conhecido das autoridades policiais.

19/06/2024 14h26
Por: Tribuna MS Fonte: Jornalista Marcelino Nunes
Foto: Divulgação.
Foto: Divulgação.

Uma Operação da Polícia Federal apreendeu um helicóptero usado no tráfico transnacional de drogas e 243,7 quilos de pasta base de cocaína na tarde desta terça-feira (18) em Jaguapitã, no norte do Paraná. Além da droga e da aeronave apreendidas, o narcopiloto, de 52 anos, foi preso e encaminhado para a delegacia da Polícia Federal em Londrina. A ação da PF teve apoio das equipes do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas – BPMOA/PMPR, RPA Jaguapitã, Extra Jornada Guaraci e Rotam do 15º BPM, de Rolândia. Droga é avaliada em mais de R$ 20 milhões.
De acordo com informações da PF, as investigações foram feitas, em conjunto, entre as Delegacias de Polícia Federal de Londrina (PR) e Ponta Porã (MS). Depois do acompanhamento dos suspeitos e da identificação da rota, Policiais Federais das Delegacias de Londrina, Maringá (PR,) Naviraí (MS) e Ponta Porã foram a campo para localização e interceptação.
A aeronave suspeita teve sua primeira visualização registrada na zona rural de Amambai (MS). Os agentes, então, acionaram o Comando de Aviação Operacional da Polícia Federal e os Batalhões de Polícia Militar de Operações Aéreas de Londrina e Cascavel: três aeronaves iniciaram os trabalhos de tentativa de abordagem.
As aeronaves policiais conseguiram visualizar o suspeito nas proximidades do Rio Paraná, divisa entre os estados do Mato Grosso do Sul e Paraná. Os policiais iniciaram o acompanhamento tático, registrando-se manobras ofensivas por parte do piloto do helicóptero perseguido. O narcopiloto tentou a fuga, mas teve sua aeronave imobilizada em Jaguapitã, local onde pousou.
No local do pouso, os policiais militares fizeram um isolamento do espaço e colocaram o piloto da aeronave no camburão da viatura – para garantir a integridade do preso, que não possuía documento físico. Ainda assim, prestou informações se identificando e ficou no camburão até a chegada da viatura da Polícia Federal.
Ainda segundo a PF, o narcopiloto já é antigo conhecido das autoridades policiais: foi preso pela quarta vez. Outras duas prisões são decorrentes de flagrantes como os desta terça-feira e uma é fruto de deflagração de Operação Policial que visou o combate à organização criminosa especializada no tráfico transnacional de drogas.