PDT elege vereador para comando municipal e faz planos para 2018

Vereador Odilon de Oliveira Júnior terá mandato de dois anos no PDT


 
Vereador Odilon de Oliveira Júnior concedeu entrevista na sede do partido (Foto: Leonardo Rocha)
Vereador Odilon de Oliveira Júnior concedeu entrevista na sede do partido (Foto: Leonardo Rocha)

A direção municipal do PDT elegeu o vereador Odilon de Oliveira Júnior (PDT) para o comando do partido em Campo Grande, em convenção que ocorreu nesta manhã (29), na sede da legenda. Ele já estava como presidente provisório, mas agora assume mandato de dois anos em definitivo.

Odilon ressaltou que o partido vem crescendo nos últimos anos tanto em Campo Grande, como em todo Estado, lembrando que conseguiu eleger nas últimas eleições dois vereadores na Capital, três deputados estaduais e um federal. "Mostra uma evolução, uma legenda que está se reestruturando e conquistando espaços".

Ele foi eleito em chapa única, com o vereador Ademir Santana (PDT) como vice-presidente e o advogado Yves Drosghic, na função de secretário geral. "Já estava como presidente provisório, agora tendo anuência em definitivo dos filiados da Capital, motivado para fazer o partido crescer ainda mais".

Odilon vai tomar posse ao cargo no próximo dia 03 de agosto (quinta-feira), em solenidade no auditória da Anoreg, com a presença do presidente nacional do PDT, o ex-ministro Carlos Lupi. "Depois vamos marcar a eleição estadual, que deve eleger em definitivo o deputado federal, Dagoberto Nogueira".

Planos – O vereador revelou que o partido inicia um novo projeto para 2018, com a intenção de ter candidato próprio ao governo estadual, em sintonia com a eventual campanha presidencial, do ex-senador Ciro Gomes. "Vamos defender nossas bandeiras da educação, direitos trabalhistas e mostrar que a política mudou".

Ele admite que o nome do juiz federal, Odilon de Oliveira, é o principal cotado para disputa a sucessão estadual, mas ponderou que a decisão será só ano que vem. "As pessoas cogitam a sua participação na disputa ao Governo ou Senado, quando meu pai (Odilon) se aposentar, vai decidir se volta a advogar ou entra na vida pública".

CG.NEWS

Envie seu Comentário