Vacinação contra febre aftosa começa a partir de 1º de maio


 
Por questões de manejo, a Iagro disponibiliza a antecipação da vacina em 15 dias antes do início da campanha. (Foto: Divulgação Iagro) Por questões de manejo, a Iagro disponibiliza a antecipação da vacina em 15 dias antes do início da campanha. (Foto: Divulgação Iagro)

A partir de 1º de maio começa a vacinação contra a febre aftosa em Mato Grosso do Sul, para os proprietários das regiões do Planalto, Fronteira e Pantanal. A previsão do Governo do Estado é de imunizar 21 milhões de animais entre bovinos e bubalinos (búfalos) nesta campanha. Por questões de manejo, a Iagro disponibiliza a antecipação da vacina em 15 dias antes do início da campanha.

Mas os produtores interessados precisam fazer um requerimento que passará por análise dos técnicos do órgão estadual. Independente deste prazo, o registro da vacinação só poderá ser feito a partir de 1º de maio. A antecipação da vacina pode ser feita a partir do dia 16 de abril, segundo a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal).

O órgão é vinculado a Semagro (secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

*8Cronograma** - No Planalto e na Fronteira a vacinação acontecerá de 1º a 31 de maio, e o registro deve ser feito de 1º de maio a 15 de junho. Os proprietários da região do Pantanal que optarem pela vacinação de todo o rebanho em maio, deverão vacinar de 1º de maio a 15 de junho e o registro de 1º de maio até 2 de julho.

A Iagro publicou instrução de serviço em que orienta produtores da região do Pantanal que em caso de enchente na propriedade, a retirada dos animais deve ser requerida junto ao órgão. Caso o destino seja informado previamente, será feita a emissão de GTA, caso não informe o local o serviço oficial deve controlar e acompanhar a movimentação dos animais.

A partir do dia 27 de abril o produtor poderá comprar a vacina contra a febre aftosa nas revendas do Estado, sem a necessidade de emissão de autorização de compra pela Iagro, explica o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta.

Fonte: Campo Grande News

Envie seu Comentário