Reclamações contra a Energisa somam nove por dia no Procon

Cobranças irregulares e retroativas também são questionadas na Justiça


 
Leituras são feitas de forma a fazer a cobrança retroativa; no detalhe, valor abusivo de conta - Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado Leituras são feitas de forma a fazer a cobrança retroativa; no detalhe, valor abusivo de conta - Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Cobranças irregulares de consumo de energia elétrica estão no topo das reclamações registradas contra a Energisa na Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), em Campo Grande. Somente este ano o órgão já registrou total de 1.431 queixas contra a concessionária do serviço de distribuição de energia em Mato Grosso do Sul, média de nove por dia. Do total, 435 são referentes a cobranças indevidas ou abusivas, o que representa cerca de 1/3 de todos os casos.

Segundo o Procon, o total de reclamações já é quase 12% maior em comparação com o mesmo período do ano passado (com total de 2.925), quando foram registrados 1.282 casos.

Os registros também são comuns na Defensoria Pública do Estado, que confirma intensificação dos problemas a partir da privatização da empresa nos anos 90. Lá são em média dez novos casos por mês, a maioria absoluta relativa a cobrança irregular. "A Defensoria sempre atuou em ações do tipo. Muitas questões, mesmo reguladas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) levam a discussão. Não é porque está previsto que o consumidor tem que se calar", explica a defensora pública Jane Inês Dietrich, que atua na área de defesa do consumidor na Capital.

**13/06/2018* - Correio do Estado

Envie seu Comentário