Mulher decapitada tinha 21 anos e estava há dez dias desaparecida

A mãe da jovem, de 65 anos, foi quem identificou a vítima por meio de uma fotografia da tatuagem em uma das pernas de Joice.


 
Joice foi encontrada decapitada com os braços amarrados para trás. (Foto: Saul Scharamm) Joice foi encontrada decapitada com os braços amarrados para trás. (Foto: Saul Scharamm)

Joice Viana Amorim, de apenas 21 anos, é o nome da mulher encontrada decapitada, esta manhã (14), em estrada vicinal que dá acesso à Avenida Wilson Paes de Barros, entre os Bairros Santa Emília e Nova Campo Grande.

A mãe da jovem, de 65 anos, foi quem identificou a vítima por meio de uma fotografia da tatuagem em uma das pernas de Joice. O corpo também foi identificado no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) por um cunhado da vítima.

Aos investigadores da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, a idosa ainda contou que sua filha era usuária de drogas, há cerca de quatro anos e há dez dias, já não retornava para casa.

Ela ainda informou que no ano de 2016, Joice teria sido ameaçada por um motociclista no Dom Antonio, onde ela traficava drogas. Na ocasião, o suspeito até teria atirado contra a jovem, porém a arma teria falhado. Joice também frequentava os bairros Los Angeles e Nhanhá.

Contudo, a mãe da garota não faz ideia de quem possa ter matado sua filha. A idosa também entregou aos policiais anotações que eram de Joice onde estavam listadas nomes e números de telefones de homens que ela não soube dizer quem eram.

O Crime

Joice foi encontrada decapitada com as mãos amarradas para trás com o próprio casaco de moletom, de cor vermelha. Conforme a polícia, o crime aconteceu nesta madrugada. A Polícia Civil não descarta a possibilidade do crime ter relação com facções criminosas. Do ano passado para cá, sete pessoas foram decapitadas na Capital pelo "tribunal do crime", julgamentos orquestrados por facções criminosas.

15/05/2018 08h08 - *Fonte: Campo Grande News

Envie seu Comentário