Campo Grande será 1ª capital a aderir ao programa Internet para Todos

Termo de adesão será assinado na tarde desta segunda-feira (12), em Brasília, com a presença do presidente Michel Temer e do ministro Gilberto Kassab.


 
A cerimônia de assinatura será realizada no Centro Internacional de Convenções do Brasil, A cerimônia de assinatura será realizada no Centro Internacional de Convenções do Brasil,

Campo Grande será a primeira capital brasileira a aderir ao programa Internet para Todos, do Governo Federal, que levará acesso à banda larga para localidades sem conectividade. A cerimônia de assinatura será realizada no Centro Internacional de Convenções do Brasil, a partir das 14h (horário de MS), em Brasília.

O evento contará com a participação do prefeito Marquinhos Trad (PSD), do presidente Michel Temer (MDB) e do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD). A informação foi repassada ao Campo Grande News pelo prefeito, durante o Ação Jovem 2018, nesta manhã (11), no Bairro Moreninhas.

O termo de adesão vai definir a infraestrutura básica e as condições para a participação de cada município. Caberá às prefeituras indicar as localidades a receberem antenas para a distribuição do sinal de internet.

"Ainda não foram definidas as localidades, somente a partir do termo de adesão", informou Marquinhos.

A Secretaria de Telecomunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, divulgou que, até o dia 7 de março, 2.053 cidades estavam aptas à assinar o termo de adesão. "O número pode aumentar em mais de 350 já que 2.408 cidades manifestaram interesse", informa.

Além de garantir a segurança da área, a prefeitura vai custear as despesas de energia elétrica que esses equipamentos consumirem.

Os municípios beneficiados nesta primeira fase começarão a receber as antenas no mês de maio, e a expectativa é que sejam instaladas 200 antenas por dia.

O programa pretende levar banda larga para escolas, hospitais e localidades sem conectividade de todas as regiões do País a partir do chamado SGDV (Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas).

O satélite, que está em órbita desde maio de 2017 e tem vida útil de 18 anos, recebeu R$ 3 bilhões em investimentos do Governo Federal.

Fonte: Campo Grande News*

Envie seu Comentário