Bandidos ficaram "entocados" em agência depois de render vigia

Vigia deu sinal a gerente, que estava chegando, e deu "meia volta" e, mesmo tendo sido perseguido, conseguiu acionar a polícia


 
Por se tratar de um banco federal, a Polícia Federal é quem ficará a cargo das investigações (Foto: Marina Pacheco)
Por se tratar de um banco federal, a Polícia Federal é quem ficará a cargo das investigações (Foto: Marina Pacheco)

Assaltantes que renderam o vigia da Caixa nesta manhã (23) durante tentativa de roubo, ficaram escondidos na agência esperando o gerente chegar. O caso aconteceu por volta das 8h20, na Avenida Mato Grosso, no Bairro Santa Fé, em Campo Grande. Toda a ação foi filmada por câmeras de segurança.

Conforme um funcionário, que não quis se identificar, por volta das 8h, alguns trabalhadores já estavam dentro da agência, quando o vigia saiu para ligar o ar-condicionado localizado na parte onde ficam os caixas eletrônicos, acabou rendido por três assaltantes. O quarto comparsa dava cobertura ao grupo do lado de fora.

Dentro do banco, os assaltantes não anunciaram assalto. Tanto que os funcionários que já estavam no local não perceberam a ação. Os criminosos ficaram escondidos esperando o gerente, que tem acesso ao cofre. Ao chegar, antes de passar pela porta, o gerente foi recebido pelo vigia, procedimento de segurança adotado pela agência.

Senha errada - O funcionário falou a senha para entrar, mas o vigia disse que o código estava errado. O gerente, então, percebeu o sinal de alerta e saiu correndo. Ele chegou a ser perseguido pelo bandido que dava cobertura aos comparsas, mas conseguiu se esconder no entorno do Comper da Ceará e acionar a polícia. Na sequência, os criminosos fugiram em um carro sem levar nada. Não há informação se agência vai abrir. Por se tratar de um banco federal, a Polícia Federal é quem ficará a cargo das investigações. Policiais Militares fazem rondas a procura dos bandidos.

Outro caso - No começo do mês, bandidos armados com fuzis e metralhadores explodiram duas agências bancárias e saquearam duas lojas, nos moldes dos crimes conhecidos como "Novo Cangaço", em Chapadão do Sul, distante 321 quilômetros de Campo Grande.

Um dos suspeitos pelo crime, Thiago Henrique Fonseca, foi preso em Uberlândia (MG) após denúncia de violência doméstica. Segundo a reportagem apurou, o crime de hoje não se identifica como "Novo Cangaço", porque não houve, por exemplo, ataque às equipes de segurança, ou tentativa de "cercar" a cidade. Nesse tipo de ação, os bandidos costumam escolher cidades pequenas.

**23/11/2018 - Campo Grande News

Envie seu Comentário