Moro assume e promete ataque duro às organizações criminosas

Ex-juiz defende políticas gerais que diminuam incentivos e oportunidades de praticar o crime


 
Novo ministro da Justiça e Segurança diz que Brasil não será “porto seguro” para o crime - Foto: Divulgação Novo ministro da Justiça e Segurança diz que Brasil não será “porto seguro” para o crime - Foto: Divulgação

O ex-juiz federal Sergio Moro assumiu o Ministério da Justiça e Segurança Pública prometendo um ataque duro às organizações criminosas que agem no País. A declaração é uma mensagem direta não somente aos traficantes de drogas e armas que agem no Brasil, a partir das fronteiras com a Bolívia e o Paraguai, mas também às facções criminosas que atuam dentro dos presídios, comandando tráfico, assassinatos e roubos.

No dia 22 de dezembro de 2018, por exemplo, o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) fez a apreen­são de 10,7 toneladas de maconha em uma carreta que transportava milho. A ação ocorreu em abordagem de fiscalização na rodovia MS-134, no sentido de Nova Andradina ao Distrito de Nova Casa Verde. A carga seria levada para São Paulo.

MEDIDAS

Durante a cerimônia de posse ontem, no Palácio da Justiça, em Brasília (DF), Moro recebeu o cargo dos ex-ministros da Justiça Torquato Jardim e da Segurança Pública Raul Jungmann – o ministério voltou a unificar as duas pastas. Ele frisou que o País não será "porto seguro" para criminosos.

**03/01/2019 - Correio do Estado

Envie seu Comentário