Renda média do trabalhador é de R$ 2,3 mil em MS, 10º maior entre os estados

Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (5)


 
Fonte: IBGE
Fonte: IBGE

Mato Grosso do Sul tem o 7º maior proporção de trabalhadores no mercado formal – 61,8% – e está na 10ª posição dentre os Estado com o maior rendimento médio, que foi de R$ 2.361 em 2017. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (5) pela Síntese dos Indicadores Sociais.

Conforme levantado pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), que também analisou o trabalho formal, em Mato Grosso do Sul, em 2012, do total da população ocupada, 59,9% contava com trabalho formal. Em 2017, essa proporção passou para 61,8%.

Entre os homens, essa proporção manteve-se no mesmo período e entre as mulheres, a proporção ocupada em trabalhos formais passou de 56,3% em 2012 para 60,8% em 2017.

Mato Grosso do Sul fica atrás de Santa Catarina, que tem 76,7% das pessoas trabalhando com carteira assinada, Rio Grande do Sul (70,2%), Distrito Federal (69,3%), São Paulo (69,3%), Paraná (67,7%) e Rio de Janeiro (65,9%).

Em 2017, o rendimento médio dos empregos formais era de R$ 2.361, e o dos trabalhos informais era de R$ 1.383, diferença de R$ 978. A maior diferença de rendimento foi registrada entre pessoas brancas: no trabalho formal, que era de R$2.691, contra R$ 1.580 no trabalho informal – R$ 1.111 a menos.

No país, a maior remuneração média está no Distrito Federal, R$ 4.505.

CG. News

Envie seu Comentário